Quanto tempo vai durar o sertanejo universitário

montar uma empresa

Sertanejo universitárioA moda, quero dizer. O nome em si, nem quero saber. Mas o “gênero” carinhosamente chamado de sertanejo universitário, até quando pode durar?

Não muito, na minha humilde opinião.

Se você é fã ardoroso desse negócio aí, leia até o fim. Porque é melhor você virar fã de uma ou mais duplas. E olhe que vai ter que escolher bem, acredite. Porque modas vêm e vão. E o sertanejo universitário é uma moda. Coisa passageira.

Ah… a foto aí é só pra ilustrar o tema. E alertar… quando as modas se vão, os artistas rotulados pegam o mesmo bonde…

Deixe-me esclarecer uma coisa. Eu não sou contra, não. Nada disso. Gosto de muitas duplas boas, como Zé Henrique e Gabriel, Victor e Léo, por exemplo. Não estou aqui “urubuzando” nada. Apenas me ocorreu o assunto, porque a coisa é bem parecida com outras “modas musicais” – digamos assim – do passado.

Quer dois exemplos? Lambada e discoteque (Veja a foto… Bee Gees = disco. Sumiram junto com a moda). Onde estão? No esquecimento. Mortas e enterradas, pra nunca mais voltarem. Pode até ser cruel, mas é verdade.

Não me pergunte como nascem essas modas. Não tenho a mínima idéia. Só sei que a coisa começa, vai crescendo, crescendo, pega fogo, todo mundo gosta, coisa e tal. Depois esfria um pouco. Mais um pouco. Gela. Adeus.

O sertanejo universitário, assim como outras modas, acaba “arrastando” consigo alguns artistas que já existiam antes do rótulo. Caso dos Bee Gees com a discoteque. Sem fazer comparações,  já podemos ver duplas antigas, como Chitãozinho e Chororó, dando suas “universitadas”.

A  moda

Pode-se – guardadas as devidas proporções – comparar o fenômeno a um produto. Por exemplo: existe o chocolate em barras, certo? Aquele tradicional, que a gente vai quebrando os quadradinhos e deixando derreter na boca. Gostoso, é ou não é? 

Aí, um fabricante resolve lançar o “chocolate do momento”. Recheado com geléia de morango e rum. E coberto com nozes. Tcharam! Manda-lhe a publicidade, com aquela moça linda de lábios carnudos que parece estar tendo um orgasmo ao morder “aquela delícia”.

Prontinho. A macacada compra feito doido. Os gordinhos então, nem se fala. Novidade doce, com chocolate, nozes e o escambau? É com eles mesmo. Nada contra gordo, por favor… mas que eles gostam de um docinho, isso é verdade.

Muito bem. Tudo que é demais enjoa. Tem um que não gosta muito das nozes, outro já fica achando que aquela geleca de morango também é meio enjoativa… adiós. Acabou-se a moda. E o que foi que sobrou? A barra de chocolate original, em quadradinhos… sacou?

O que é o sertanejo universitário

É isso aí. A barra de chocolate com uns enfeites, recheios e coberturas. Bem, há que se reconhecer que meio ao contrário. No sertanejo universitário, ao invés de enfeitar, tiraram os enfeites. É um violãozinho básico, um baixo, uma batera e tamos aí.

Duplas como Zezé di Camargo e Luciano, Bruno Marrone usando até orquestras, pense bem. Entregando uma música de altíssima qualidade. Aí você vai acreditar que o futuro é só um violão? Não faça isso consigo mesmo…

Como já disse, nada contra. É legal mesmo, um negócio diferente. Quer dizer, não muito diferente. Mas é diferente. Pra quebrar o gêlo. Sacudir um pouco, mexer com mais gente.

Acho que até o nome tem a ver. Jamais imaginei um universitário (não o cantor, o estudante) curtindo sertanejo. Tempos atrás, universitário curtia só música do tipo “cabeça” (que vai do nada a lugar nenhum). Acho que era pra fingir que eles entendiam mais que o povão. Que eram mais sabidos… hãhã… 

Como é? Universitário não curte sertanejo universitário? Será, rapaz? Ah, sei lá. Nem interessa também. Eu sei que o povo tá é curtindo.

Vai-se o universitário, fica o sertanejo

Mas deixa eu explicar porque disse que você deveria ser fã de duplas e não do sertanejo universitário. diga-me uma coisa: você torce pelo Coríntians, Palmeiras, Santos, Flamengo, enfim, por um time, ou pelo campeonato brasileiro, pelo campeonato paulista… percebeu? Sertanejo universitário é um “sub-gênero-inventado”. Porém, algumas (poucas) duplas vão continuar. Sem o universitário. Só com o sertanejo. 

A única coisa que me embatuca um pouco é o nome. Sertanejo, tudo bem. Universitário é que me complica. Creio que os caras (inventores da bagaça) devem ter pesquisado bastante. Sertanejo mobral não ia pegar bem. Sertanejo primeiro grau, segundo grau. Nãããã….mmm. Vamos logo “pras cabeça”. Federal mesmo. Arrebentar. Universitário, com “deproma” e tudo.  

Bom, cultura inútil à parte, aí está a minha previsão para o futuro do sertanejo universitário. Depois não digam que eu não avisei…

Comments

  • E vem genero, vai genero e o que fica? O BOM E VELHO ROCK’N ROLL!

    JeanNovember 12, 2010
    • Rerere… Pode crer. Rock é bom demais. Mas eu também gosto de outros gêneros. Aquilo que não é só moda permanece. Um grande abraço e obrigado pela visita.

      BrunoNovember 12, 2010
    • Uma coisa que eu tenho notado! Percebam vocês também!

      Uma coisa que eu tenho notado! Percebam vocês também! Eu vou me aprofundar-me um pouquinho mais, antes de falar do primeiro tema acima “Percebam vocês também”

      Pois bem…..-Eu por exemplo, tenho 33 anos, em minha casa em minha vida, dentro de casa e fora de casa, em minha fabrica ou em minha loja, dentro do meu carro ou fora, enfim……em todos os lugares que eu posso evitar, que essa podre manifestação musical entre, eu sempre evitarei.

      Nunca deixei entrar em minha vida essa merda, tenho poucos amigos! Mesmo porque, as seleções de minhas amizades e relacionamentos começam pelo o bom gosto musical de cada! Se estiverem dentro dos meus parâmetros, serão meus amigos! Se não estiverem, não faço questão nenhuma de ter, e ser companhia de tal ao meu arredor.

      Sempre quis ser um psicólogo, estudei dos 4 quatros anos que precisava ser, 2 anos apenas, Mas logo troquei por outra faculdade, a Musica. Fui parar na Espanha, estudar musica flamenca, vivi pra musica 11 anos de minha vida! Vi e ouvi muitos músicos anônimos maravilhosos, e posso compará-los aos grandes músicos do nosso país, mas, vi também como eu, perderem espaço e trabalho, em casas de shows e bares, porque não tinha em seu repertório a merda deste fenômeno atual.

      Hoje de vez em quando, tem gente que às vezes ate me perguntam! Por que eu vendi todos os meus instrumentos e parei com a musica.

      Eu nunca pensei 2 vezes em desistir da musica quando o lixo sonoro invadiu tudo e todo mundo, passei uma baita necessidade e muitas vezes fome dentro do meu carro por ter estudado muito, e por ter bom gosto, rodando por 13 ou mais estado do nosso país, levava um repertório de musicas que se eu citar a lista aqui, daria no mínimo, 1.000 mil paginas, somente das mais belas musicas já criadas neste país.

      “Agora voltando no tema acima” Uma coisa que eu tenho notado! Percebam vocês também! Já perceberam que todo mundo, façam esse teste! Se você perguntar! Todo mundo sem exceção de ninguém, meninos, meninas, moças, rapazes, senhoras, senhores velhos e velhas enfim…….. Todo cidadão comum do dia dia! Quando você pergunta ou afirma sobre essa merda de musica nos bares, nos fast food da vida, em lojas de roupas em Shopping em mercado em postos de gasolinas nas casas, nos seus vizinhos…. Em todo lugar, em todos os cantos, em tudo em qualquer coisa sem exceção de nada, essa merda esta sendo executada.

      Ai todo mundo diz não gostar! Ninguém gosta dessa merda! Tudo mundo que eu pergunto ninguém gosta! Como não gosta? Como? Agora ninguém gosta! Ninguém assume essa merda, Ninguém! Esse povo, que gosta dessa merda! Não tem nem a coragem de assumir que gosta dessa merda, dessa bosta toda!

      Por quê? Por quê? Porque tem vergonha de assumir que fazem parte dessa geração vagabunda de musica que esta sendo executada por todos os tipos de comércios deste País.

      Onde eu entro pra comprar seja lá o que for, tem sempre um capeta de um Rádio com varias caixinhas de sons, espalhadas, espalhado como merda no ventilador essa bosta de musica, “e” de graça!

      Como se todos os cidadãos e cidadãs fossem obrigado a ouvir e conviver com aquilo, quando seria mais simples, desligarem o Rádio, ou, colocar qualquer coisa instrumental….

      Mas, a pergunta que não quer calar! Quando fazemos pesquisas sobre a bosta e a merda, só encontramos pessoas cultas e inteligentes e de bom gosto….. Chega ser, ate engraçado… Cadê os consumidores desta desgraça toda? Porque se tem tanta gente que não gosta, como explicar essas merdas de shows lotados?
      Porque se tem tanta gente que não gosta, porque essa audiência gratuita de ponta a ponta deste paizinho do caralho.

      Uma coisa que eu tenho notado! Percebam vocês também! O que mais se encontra, são pessoas que dizem não gostarem dessa merda toda, mas, o que eu mais vejo e ouço são essas merdas todas!
      Dentro dos seus carros, dentro de suas casas, em rodoviária, em metrôs em Aeroportos, está todo mundo sentado e consumindo, nesses lugares onde está sendo executada essa bosta toda no ar.

      “Analise disso tudo! é uma bosta! E, hipocrisia supera geral”.

      Existe uma pesquisa muito seria, realizada por um antropólogo um sociólogo um psicólogo e um psiquiatra de uma excelente Faculdade respeitadíssima no Brasil.
      Tive acesso a essa pesquisa por ser amigo deste grupo! Que eu não vou poder citar os nomes deles aqui, porque estaria vinculando-os ao meu depoimento particular acima.
      Mas vou mostra para eles essa matéria e se eles não fizerem nenhuma objeção colocarem os nomes deles aqui, só pra reforçar toda a minha certeza.

      Existe uma pesquisa que eles fizeram por 2 anos, e resumindo essa pesquisa, eles entrevistaram, tipo o Censo, uma cidade inteira com 251mil habitantes sobre a cultura.
      E alicerçados na ciência, concluíram que a cada 1.000 pessoas, 2, somente duas! Tem muito, mais muito bom gosto.

      Gente……. É alarmante! Se inclua nesta lista e não tenha medo de afirmar, sou uma delas.
      Luthier, Musico Valmir Felix.

      Valmir FelixNovember 4, 2013
      • Olá Valmir. Acredito que você tenha razão… até certo ponto. Da época em escrevi este artigo pra cá as coisas mudaram. Pra pior, como não poderia deixar de ser, no Brasil de hoje. No artigo eu falava do sertanejo universitário que, diante do que estão fazendo hoje virou até música de qualidade. Eu procuro sempre não generalizar. Mas o que estão divulgando hoje… fica difícil. Como você mesmo disse, o que não é uma merda… é uma bosta. Mas eu diria… quase tudo. Por causa do meu gosto. Eu gosto de música popular, música simples. Country, sertanejo, rock. Mas fique calmo. A lixaiada um dia vai embora. O problema é que a geração que cresce com isso… sei lá que “gosto musical” vai ter. Por outro lado, não se desespere. Eu conheço gente que não só diz que não gosta, como também não ouve. Ou seja, faz o que fala. Mas realmente tem muita gente que diz que não gosta, mas vive ouvindo. Como diz minha velha mãe… um dia passa. Um abraço.

        BrunoDecember 3, 2013
  • Na verdade este movimento de sertanejo universitário é um estilo totalmente fictício por que não passa de um POP SERTANEJO … porém, assim como você, acho que o futuro não é longíquo para este estilo!

    Edu SoutoNovember 12, 2010
    • É isso, Edu. Obrigado pelo comentário. Um abraço.

      BrunoNovember 12, 2010
  • Bruno, até acho viável algumas coisas que disse, é um texto subjetivo, então, tem mais é que ter só sua opinião mesmo. Mas, falar que antes os universitários só ouviam “música cabeça” e que “que vai do nada a lugar nenhum” é, na opinião, falta de conhecimento. O que acontecia antes nas universidades era o ingresso de um grupo mais seleto, em função de não haver muitas universidades, inclusive particulares. Hoje em dia, qualquer “buteco” vira universidade. E, além disso, houve uma apliação enorme no número de cursos e vagas nas federais (no meu caso, estou me referindo a UFG, onde estou no meu segundo curso). Com essa ampliação, junto com outros fatores como a alienação dessa geração do sertanejo universitário, criou-se um idéia de que música serve somente para trilha musical de balada. Portanto, não espero que alguém assim entenda Chico Buarque ou Belchior, representantes de uma verdadeira cultura popular brasileira. E nem vão compreender a nova geração da boa música brasileira, como: Mombojó, Céu, Cidadão Instigado, Nação Zumbi, Otto, etc. Sei disso, por simples lógica, como notei que de 2002 para 2010, o nível intelectual dos alunos da UFG sofreu um baixa, imagino que isso há de ter sido mais grave ainda nas instituições particulares. Assim, fica aceitável chamar essa babozeira pop de “sertanejo universitário”. Primeiro, nota-se de cara a ignorância em relação ao gênero sertanejo, e em segundo, o vazio dessas músicas é reflexo do vazio intelectual dos atuais universitários. Estou generalizando, por saber que os que ainda se interessam por ciências ou ainda acreditam em contribuir no progresso intelectual da sociedade são raros dentro de universidade. Com isso, sobra muita vaga para pessoas pensam que a cultura de um país não tem muita importância, banalizando a música e aceitando isso sem o menor sem crítico.

    November 12, 2010
    • Valeu, Zé. Bastante esclarecedor o seu comentário. O que quero dizer com música que “vai do nada a lugar nehum”, é com relação a algumas letras da MPB, que a moçada cantava (ou canta) e não querem dizer absolutamente nada. É claro que não se pode generalizar. Muito obrigado pela visita e comentário. Abraço.

      BrunoNovember 12, 2010
  • Concordo com você é só uma moda, vai passar assim como o forró universitário e outras que ja se foi, agora vamos aguardas qual outro genero universitário que surgirá…. abraços!

    Ricardo MartinsNovember 12, 2010
    • Olá Ricardo. Eu acho que a gente poderia sugerir, por exemplo, uma modinha mais avançada. Samba pós-graduação, o que você acha? Universitário já deu o que tinha que dar… Grande abraço.

      BrunoNovember 12, 2010
  • È isso ai Bruno, no final só fica os feras os sertanejos muito obrigado Paz!!!!!!!!!

    CésarNovember 17, 2010
    • Falou, César. Moda é moda. Quem gostar, aproveite agora. Abraço grande.

      BrunoNovember 17, 2010
  • cara! colocar os bee gees, nesse teu texto, é no mínimo uma comparação inflamada. os caras são deuses da musica. segue àbaixo algo sobre eles…não consigo concordar com isso…

    Singles mais relevantes no Brasil
    1967 – “Massachusetts”
    1968 – “I Started a Joke”
    1969 – “Tomorrow Tomorrow”
    1970 – “Cherry Red”
    1971 – “Lonely Days”
    1971 – “How Can You Mend a Broken Heart?”
    1972 – “Run to Me”
    1976 – “You Should Be Dancing”
    1976 – “Love So Right”
    1977 – “How Deep Is Your Love?”
    1978 – “Stayin’ Alive”
    1978 – “Night Fever”
    1979 – “Too Much Heaven”
    1979 – “Tragedy”
    1989 – “One”
    1990 – “Wish You Were Here ”
    1993 – “Palavras” (Words) (dueto com Chitãozinho e Xororó)
    1994 – “For Whom the Bell Tolls”
    1997 – “Alone”
    1998 – “Immortality” (dueto com Céline Dion)
    [editar] Singles mais relevantes em Portugal
    1977 – “How Deep Is Your Love?” #1
    1978 – “Stayin’ Alive” #1
    1978 – “Night Fever” #1
    1987 – “You Win Again” #1
    [editar] Singles solo relevantes no Brasil
    1978 – “Emotion” (Samantha Sang com Barry Gibb)
    1980 – “Guilty” (Barbra Streisand com Barry Gibb)
    1981 – “What Kind a Fool” (Barbra Streisand com Barry Gibb)
    1982 – “Heartbreaker” (Dionne Warwick com Barry Gibb)
    1983 – “You and I” (Kenny Rogers com Barry Gibb)
    1984 – “Boys Do Fall in Love” (Robin Gibb)
    2005 – “Tantas Palavras (Please)” (Marlon e Maicon com Robin Gibb)
    [editar] Singles solo relevantes em Portugal
    1980 – “Guilty” (Barbra Streisand com Barry Gibb)
    1980 – “Woman In Love” (Barbra Streisand)
    1981 – “What Kind a Fool” (Barbra Streisand com Barry Gibb)
    1982 – “Heartbreaker” (Dionne Warwick com Barry Gibb)
    1983 – “Juliet” (Robin Gibb)
    1985 – “Chain Reaction” (Diana Ross com Barry Gibb)
    [editar] Premiações
    [editar] Grammys[1]
    1977 – Melhor grupo vocal pop, com “How Deep Is Your Love?”
    1978 – Melhor álbum, com “Saturday Night Fever”
    1978 – Melhor grupo vocal pop, com “Saturday Night Fever”
    1978 – Melhor arranjo vocal, com “Stayin’ Alive”
    1978 – Melhor produtor: Barry Gibb, Robin Gibb, Maurice Gibb, Karl Richardson e Albhy Galuten
    1980 – Melhor grupo vocal pop (Barry Gibb e Barbra Streisand), com “Guilty”
    2000 – Lifetime Achievement Award
    2003 – Prêmio Pelo Conjunto Da Obra
    2004 – Prêmio “Hall Da Fama” “Saturday Night Fever

    moryDecember 22, 2010
    • Mory, Mory, Mory… creio que você não entendeu a brincadeira. Não há termo de comparação entre Bee Gees e Sertanejo Universitário. Em nenhum momento do texto existe esta comparação. Eu conheço os Bee Gees desde que era moleque, e lá se vão muitos anos. Sempre escutei e sempre gostei. E gosto ainda, tanto é que toco as músicas deles. Entretanto, se você acompanhou a época da discoteque, deve lembrar-se que os Bee Gees, que não tinham nada a ver com aquele modismo, embarcaram no mesmo com força total. O resultado – e isso você não consegue contra-argumentar – foi desastroso para a carreira deles. Acabou-se a discoteque, acabaram-se os Bee Gees. Você mesmo acaba de comprovar isto com sua última linha. Prêmio “Hall da fama” Saturday Night Fever, em que ano? Em 2004, anos e anos depois do fim da onda discoteque. Está aí o que eu quis dizer com meu texto. Depois da discoteque, tiau! E é o que pode acontecer com muitas duplas rotuladas com “Sertanejo Universitário”. Acabou-se a moda, vão-se embora as duplas.

      Agradeço bastante (é sério) pela sua lista do trabalho dos Bee Gees. E até mesmo o convido para fazermos um artigo sobre eles. Creio que você sabe muito sobre Bee Gees. E já que é fã, aqui segue o link no youtube, em que faço um cover da música I’ve got a message to you (http://www.youtube.com/watch?v=bRgO3CfOTS0).

      Um grande abraço

      BrunoDecember 22, 2010
  • continuo achando que os bee gees não se foram…pois são eternos.depois da onda da discoteque, eles gravaram muitos sons difentes, sempre acompanhando as décadas. os bee gees, são alguns dos grupos que conseguiram acompanhar todos os tempos em relação de rítmos, eles fizeram discoteque porque foram contratados na época para fazerem a trilha sonora do embalos de sábado a noite, que diga-se de passagem foi um grande sucesso, e não acho que se foram, pra mim bee gees vai tocar sempre, todas as musicas de seu repertório, porque são músicas belissimas, não da pra dizer que bee gees grava coisa comercial. enfim, quando voce diz que bee gees se foi continuo não concordando, pois eles serão reconhecidos pra sempre no mundo todo. o que é diferente dessas duplinhas ou cantorzinhos que tem por ai, tipo luan que faz sucesso só porque é bonitinho. massachusetts como tantas outras sempre serão um sucesso, concordas comigo que tem uma diferença ai…bee gees é imortal, como elton jonh, jonh lenon, e tantos outros.só discordo quando voce fala que eles se foram depois da discoteque…abraços.. obs….sou músico, toquei muito na noite, hoje toco mais em festinhas com os amigos, faço midis e visite meu site, onde disponibilizo todos os que fiz pra download, inclusive tem bee gees la. abraço amigo…meu site http://www.morymusic.redel.com.br , e tem uma musica que gravei do barry white, esta em mp3, gravei em meu estudio caseiro…da uma escutada nela.fiz tem outros midis como titãs acustico, djavan, pholhas, da uma olhada. fuiii

    moryDecember 22, 2010
  • beleza bruno…tu mora em que cidade?. parabéns pelo video. visita meu youtube.
    http://www.youtube.com/watch?v=NNWCB57EYRk esse é o endereço de uma musica que gravei dos bee gees- to love some body—beleza? abraços, gravado em meu estudio caseiro- os vocais sou eu mesmo…

    moryDecember 23, 2010
  • Muito boa materia.E isso não para por ai.O sertanejo universitario ja esta perdendo a força e o rótulo par pop sertanejo,nada mais nada menos que o que Zeze e Luciano e outras tantas duplas gravaram.O que aconneteceu foi que muita gente entrou nessa de universitario para entrar na midia,mas ja notaram que os mesmos ja estão voltando pro sertanejo tradicional.Ex Fernando e Sorocaba com a musica MAdri(O que tem de universitario ai).Todos sabem que se não vierem fazer musicas de qualidade não vão ficar.O Victor e Leo por exemplo não é nem de longe universitario e sim uma musica de muita qualidade de com´posição e conhecimento.Um grande problema aqui no Brasil é que o povo não tem conhecimento musical.Ex no E.U.A a criança tem musica na escola.Aqui 90% não sabe defiir musica boa da musica ruim por falta de conhecimento.O grande problema é todos os artistas gravam tudo a mesma coisa,mesma sequencia melodica,mesma letra,mesmo tema e até introduções que não conseguimos dar mais uma identidade para a dupla e para a musica que esta tocando pois é tudo igual.Quem apostar num produto diferente vai permanecer no mercado.Abraço

    Ródney FerrareziFebruary 16, 2011
    • Olá Rodney. Você simplesmente completou meu artigo. Como diz o outro, “tirou daqui”. É exatamente isso que você diz. Não há identidade. Tudo soa muito “a mesma coisa”. E isso vai tudo pro espaço. Como não poderia deixar de ser. Apenas um modismo. Acredito que alguns vão (e já estão fazendo isso) apostar em algo diferente , como você diz. Muito obrigado pela visita e pelo excelente comentário. Um abraço.

      BrunoFebruary 16, 2011
  • E digo mais, essas musicas rotuladas sertanejo universitario, bem pouco se aproveita, pois são letras vazias, e que na verdade se repete o refrão da musica trocentas vezes. Tomara que acabe logo, pois não aguento mais, vamos ouvir o sertanejo que tem conteudo nas letras e melodias bonitas.
    Abraço

    EdivaldoApril 8, 2011
    • Olá Edivaldo. Mandou bem. Com tanta dupla e tanta música, seria de se estranhar que as músicas fossem boas. A maioria vai pro vinagre mesmo. Um abraço.

      BrunoApril 8, 2011
  • Na verdade, musica SERTANEJA DE VERDADE,não se aplica nem a Zezé di Camargo e Luciano e menos ainda aos TRAIDORES DO VERDADEIRO SERTANEJO _Chitãozinho e Chororó que se adaptaram a varias modas nojentas dentro do chamado sertanejo….

    A VERDADEIRA MUSICA SERTANEJA é a musica que veio do SERTÃO, duplas como TIÃO CARREIRO E PARDINHO, JACÓ E JACOZINHO, TONICO E TINOCO E MUITO REMOTAMENTE CHITAOZINHO E CHORORÓ.

    E ainda tem fãs de sertanejo que são revoltados com o SERTANEJO UNIVERSITARIO ,isso porque ele curte chitaozinho e chororó ou Zeze e luciano…….___FRANCAMENTE!, NEHUM É SERTANEJO,SÃO TODOS UMAS MERDA SÓ,APENAS SURGIRAM EM EPOCAS DIFERENTES, NO TEMPO DO ZEZE ,A MODA ERA CANTAR MUSICA PRA CORNO E O CHITAOZINHO E XORORO ADERIU. AGORA A MODA E TOCAR MUSICA DE P… E ALGUMAS NEM LETRAS TEM,TEM MAIS É GRUNIDOS DO TIPO,TCHUM TCHA,LELELE,BARA BERE……EU FICO IMAGINANDO A PROXIMA MODA DO SERTANEJO SERA COM MIMICAS….JA QUE OS GRUNIDOS JA FORAM FEITOS…..É um RETROCESSO TOTAL!!

    Os Sertanejos universitarios, usam ESTILOS DOS ROKEIROS, CERTO, MAIS BASTA VC FAZER UMA PESQUIZA NO GOOGLE IMAGENS ,DIGITA BANDAS DE ROCK DOS ANOS 70 DEPOIS DUPLAS SERTANEJAS DOS ANOS 70, VA PROS ANOS 80 E FAZ A MESMA COISA,DEPOIS VA PRA A EPOCA ATUAL…..

    CARA OS SERTANEJOS SEMPRE IMITAM ESTILOS DE ROKEIRO A VIDA TODA,,,,OS FALSOS SERTANEJOS….DEVERIA ROTULAR COMO MUSICA BREGA OU SIMPLISMENTE SERTANOJO

    FERNANDO MOURAJune 13, 2013
    • Olá Fernando. Valeu a opinião. Um abraço.

      BrunoJune 15, 2013
  • Concordo em grau, gênero e número com tudo que o Bruno escreveu.
    Bendito seja o inventor do fone de ouvido, pois me livra de todo o mal que o sertan… (não vou falar o nome disso), possa me causar (dores de barriga, dor de cabeça, estresse, etc, etc.).
    Quando será que vai surgir um roqueiro revolucionário ou uma banda de rock revolucionária (pode ser outros estilos também) que possa reverter esse quadro em que vivemos hoje? Eu nasci em 1980, mesmo ano que o John Lennon deixou este mundo (que falta ele faz). Ele e seus parceiros Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr (dos Beatles, para quem não conhece) revolucionaram o mundo, com lindas canções de amor e protesto. Mas até meados de 1995 ainda podíamos apreciar uma boa música. O movimento grunge de Seatle foi uma revolução. Bandas como Nirvana, Pearl Jam, Sonic Youth, Pixies e tantas outras, inspiradas por Gênios como David Bowie, mudaram a cara do mundo, que ficou mais despojada e corajosa, pois através de suas letras, colocavam todo seus sentimentos de forma poética, embaladas pelos acordes da guitarra e Riffs maravilhosos. Não posso esquecer das bandas nacionais como o Legião Urbana, Paralamas, Titãns, RPM, Engenheiros do Hawaii, e tantas outras do gênero, que também mudaram as coisas (pra melhor é claro) por aqui. Eu acho que a tecnologia fui muito boa para a música, mas também foi muito ruim, pois com a pirataria, os bons músicos ficaram desmotivados a produzirem músicas com a mesma qualidade de antes e ou paravam de vez ou ficavam longe dos holofotes, produzindo para um pequeno nicho que ainda tem bom gosto. Aí foi onde os músicos ruins entraram (se é que dá para chamar de músicos). Esses uns aí que se aproveitaram deste momento frágil da música, produziam qualquer coisa e botavam pra tocar nas rádios (eles pagam pra isso). Quanto mais sua “música” toca nas rádios, mais as pessoas ouvem. Daí é só produzir um show e tocar numa feira ou exposição qualquer, pra começar a fazer a cabeça da massa. O negócio é escrever qualquer coisa que tenha algum som estranho como tcherere, berere, tchutchatcha e falar de sobre balada e pegação que o resto tá feito. Essa é a onda do momento e espero que seja apenas do momento mesmo…

    DiogoDecember 13, 2013
    • Olá Diogo. Obriagdo pelo comentário. Um grande abraço.

      BrunoDecember 21, 2013

Leave a Reply