Quer criar seu próprio infoproduto?

Inscreva-se e receba um minieBook para saber mais hoje mesmo!

Quando você diz “estou triste”…

estou triste - blog levantarUm dos sentimentos mais profundos e sinceros do ser humano é – na minha opinião – a tristeza. Quando você chega a dizer “estou triste”, é porque o bicho pegou mesmo.

Eu já percebi a diferença entre estar desanimado, chateado, cansado, estressado e estar triste.

Você pode ficar desanimado com a falta de perspectiva profissional, por exemplo. Chateado com um amigo que lhe aprontou alguma. Cansado de tanto correr e correr sem conseguir nada. E por aí afora. Mas quando você olha no espelho e admite: “eu estou triste”…

É uma sensação profunda, quase inexplicável. Como se diz muito pela aí: “um vazio…”. É isso mesmo. Vazio, um quase completo nada multiplicado por coisa nenhuma. Um buraco negro. Escuro e perigoso.

Você pode ajeitar sua vida profissional de várias maneiras e o desânimo vai embora. Fazer as pazes com o amigo e esquecer a chateação. Relaxar, tirar férias, diminuindo o stress.

Até mesmo o desespêro não é como a tristeza. Você deixa de ficar desesperado assim que o problema se resolve. Ou quando não há solução para a questão. Por exemplo: as contas estão atrasadas e o dinheiro não entra. Assim que a grana aparece (essa é legal…) acaba o desespêro. Se não aparecer de jeito nenhum, acaba também, porque você fica entretido trabalhando para conseguir o que falta.

Mas como curar a tristeza? Se você não tem a mínima idéia de como foi que aquilo apareceu? Não sabe o motivo, nem quando começou e muito menos quando vai terminar?´

É assim mesmo. Só perguntas e nenhuma resposta. A única coisa que você sabe é: “estou triste”.

Ah, é depressão – dizem alguns. Pode ser, em termos mais rebuscados. Eu prefiro chamar de tristeza mesmo.

Estou triste – qual o motivo?

Sabe o que eu acho que é a tristeza? É o medo. De tudo acabar. O vazio. O nada. Imaginar um imenso buraco negro sem absolutamente nada, nem sequer ar, é difícil para nós. Onde tudo se acaba. Não há mais parentes, amigos, igreja, rua, casa, carro… não há nada. Isso realmente é muito triste.

Estamos cercados por estas coisas e pessoas. Por isso é que poucos chegam a cair nesta tristeza profunda. Mas alguns, não sei porque, parecem conseguir vislumbrar o nada absoluto. A falta total de esperança. A inutilidade da existência. E aí sim, com toda razão podem admitir: estou triste.

Não pense você que acabo de “descobrir” o que é a tristeza. Pobre de mim se algum psicólogo ler estas linhas. Esta é só a minha opinião.

Quem pode me ajudar?

Para um grande mal, só um grande remédio. Aquele frasco de anti-depressivos não vai dar nem pro começo, acredite. Seria muita pretensão querer preencher um buraco negro com algumas pílulas.

Um grande remédio pode até existir, mas é necessário um grande médico para receitá-lo. Jesus Cristo é o médico  . Para este e todos os outros males. Com Jesus não há mais vazio, buraco negro.

Caminhe com Jesus e troque a frase “estou triste” por outra bem melhor, como: “estou salvo”.

About the Author Bruno