Quer criar seu próprio infoproduto?

Inscreva-se e receba um minieBook para saber mais hoje mesmo!

Porque não entrar numa panelinha

Shares

Não, não é de uma panela pequena que estou falando. Se você não conhece o termo “panelinha”, vou fazer uma tentativa para explicar. Mas a definição é minha, e a opinião também. Se não bater com a sua, fique à vontade… O campo de comentários está aberto.

Panelinha é um grupelho nojento de pessoas medíocres, formado dentro de uma instituição ou organização, com a finalidade de obter algum tipo de vantagem para seus membros.

Gostou da definição? Pode não ser a melhor, mas expressa claramente a minha aversão a este nefasto tipo de agrupamento.

Uma panelinha pode ser formada em qualquer lugar. A empresa é um dos preferidos do “panelistas”. Mas elas podem existir em escolas, equipes de esportes, clubes. Até mesmo em igrejas. É sim. Igreja tem panelinha, sim senhor.

Requisitos para participar de uma panelinha

E não pense que você pode ir entrando assim, sem mais nem menos, numa panelinha. Não senhor. Você precisa preencher os requisitos. O principal deles foi mencionado na definição: ser medíocre. Os medíocres acham que juntos “ficam mais fortes”. E ficam mesmo. Em mediocridade. Dali não sai nada que presta, de vez que todos são medíocres.

Outro requisito para se entrar numa panelinha, é ser puxa-saco. Sim, porque há um líder (o medíocre-mor). E ele, como todo lipone (lider de p… nenhuma) gosta de ser paparicado. E obedecido. Só se faz o que o babaca quer. Ah, sim… aí está outra “qualidade” que é preciso ter para entrar numa panelinha: ser babaca.

Há mais um requisito imprescindível: ser incompetente. Sim, porque se você não for incompentente, para quê precisa daquele bando de idiotas?

O líder da panelinha tem – em alguns casos – acesso (pelo menos momentâneo) a um superior hierárquico na empresa (ou outra organização). Ou pelo menos se supõe que tenha. É com este “poder” que o imbecil começa a formar seu grupelho asqueroso.

Alguns (ou todos) os membros de uma panelinha são – como não poderia deixar de ser – além de puxa-sacos, dedo-duros. Delatores. Qualquer coisinha, já estão lá, lambendo as botas do lider, dedurando e dedurando.

Como enfrentar uma panelinha

Mas jamais se preocupe com os membros da panelinha. Porque se em alguma coisa são homogêneos, é na covardia. Todos são covardes. Você bateu o pé, saem correndo. Um bando de mocinhas assustadas. Principalmente quando o lider não está presente.

Se há uma panelinha na empresa em que você trabalha, e o lider é o chefe do seu departamento, você, como não participante está “no córrego”. Isto acontece. Sendo o próprio chefe do setor o lider da panelinha, você praticamente já está dentro dela. Não por possuir as “qualidades” necessárias, mas simplesmente por trabalhar ali.

Num caso destes, a única opção para não entrar na panelinha é arriscar. Fazer seu trabalho da melhor maneira possível e manter-se calado. Em geral, alguns dos escrotos podem te provocar, fococar, dedurar e por aí afora. É… você pode perder o emprêgo. É nojento, mas é verdade.

Mas há como ficar de fora. Resista até o fim. A menos que você possua os requisitos mencionados. Se for este o caso, boa sorte. Você vai precisar. Porque babacas, incompetentes, medíocres, dedo-duros e puxa-sacos invariavelmente acabam se lascando. Pode demorar, mas é inevitável.

Ah, sim… Não confunda um grupo de amigos com uma panelinha. Uma coisa é uma coisa. Outra coisa é outra coisa. É claro que dentro de qualquer organização algumas pessoas se dão bem entre si. Um pequeno grupo que partilha dos mesmos interesses, coisa assim.

Por exemplo: meia dúzia de caras que costumam tomar uma cerveja juntos após o expediente. Aí não é panelinha, claro. É um grupo saudável. Puxa-sacos e escrôtos raramente tomam uma cerveja juntos. Rodinha de boteco é coisa pra homem.

Enfim, acredito já haver aí motivos suficientes para não se entrar numa panelinha, pois não? Pelo menos para quem tem um mínimo auto-estima e integridade.

About the Author Bruno

Popular posts