Quer criar seu próprio infoproduto?

Inscreva-se e receba um minieBook para saber mais hoje mesmo!

Ler a bíblia é suficiente?

Ler a bíbliaPessoalmente, já me envoquei uma vez e tentei ler a bíblia de cabo a rabo. Não me lembro direito, mas creio que não li tudo. Fui pulando umas partes, muito detalhistas.

De qualquer maneira, ler a bíblia desta maneira geralmente não leva a lugar nenhum. Mesmo porque, somente ler a bíblia não é suficiente. É preciso entender. E para entender a bíblia toda… é complicado.

Por isso é muito importante frequentar uma boa igreja. Que tenha um bom pastor. Cujo qual entenda melhor a bíblia do que você. Às vezes um pequeno detalhe, num pequeno versículo, esclarece o assunto, tira suas dúvidas.

Como ler a bíblia

O que você mesmo pode fazer é meditar. Pensar, mas não sobre a bíblia toda, vai deixar você doido. Meditar sobre uma determinada passagem, um ou dois versículos.

Muitos têm a mania de abrir a bíblia aleatoriamente, para “ver o que Deus tem pra mim hoje…”. Adivinhações à parte, não deixa de ser uma forma de ler a bíblia. Se cair numa parte que diz algo que você não gostou, basta seguir a regra das três tentativas. Brincadeira, tal regra nem existe.

Lembre-se – por outro lado – de não tirar conclusões precipitadas ao ler algum trecho da bíblia. Leia o que veio antes e o que vem depois. Certifique-se de que aquilo quer dizer aquilo mesmo. Se há uma grande verdade que muitos dizem, inclusive sobre textos da bíblia, é: “texto fora do contexto é pretexto”. Algumas vezes, até um sermão pode dar uma impressão errada ao utilizar um trecho da bíblia, dando-lhe um aspecto diferente.

Você deve também tomar cuidado com “interpretações”. A bíblia não é ambígua. Não tem dois sentidos. Portanto não necessita de interpretação. Como eu disse no começo, é preciso ler e entender a bíblia. “Interpretações” podem deturpar a palavra.

Cuidado com as conclusões precipitadas

Em Mateus 25:14-30, você pode ler a história dos talentos. Que já rendeu muitos sermões por este mundo afora. Eu mesmo já ouvi muitos. Mas jamais ouvi algum pastor dar sua opinião a respeito do “senhor” da história. Porque teria ele ficado tão contrariado com o servo que só lhe devolveu o que o senhor lhe havia dado? Um talento. Seria porque ele queria que tivesse trazido o dôbro, como os outros dois servos? À primeira vista, parece isso, correto?

Porém, ouvi um sermão há duas semanas em que o pastor deu uma bela clareada na história. Repare como somos falhos ao ler a bíblia, e rápidos em tirar conclusões. O servo, ao devolver ao senhor um talento, falou a seguinte frase:

“Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste. E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.”

Imediatamente o senhor o chama de “mau e negligente servo”. É evidente que o servo é negligente. Não quis trabalhar, ganhar mais com o talento que havia recebido. Mas porque mau? Leia de novo a frase que o servo disse. “Ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste”. Foi isso que deixou seu senhor fulo da vida. O servo fazia um péssimo julgamento de seu senhor. E o disse na cara do homem. Sendo que não é verdade. Afinal, ao dar os talentos aos três servos o que é que ele fazia? Semeava e espalhava, ao contrário do que dizia a acusação do servo.

Pense nisso quando for ler a bíblia. Boa leitura.

autor da foto

About the Author Bruno