Quer criar seu próprio infoproduto?

Inscreva-se e receba um minieBook para saber mais hoje mesmo!

Como saber tomar decisões

tomar decisõesSabe essas listinhas que andam por aí: “dez dicas para saber como tomar decisões”? Não, não vou judiar de você com mais uma delas. Tampouco tenho uma fórmula única para ensinar ninguém a tomar decisões.

Mas de uma coisa eu sei. Quando você toma decisões erradas, o mínimo que pode lhe acontecer é um atraso de vida. O máximo… nem é bom saber.

Portanto, é preciso ter cuidado ao tomar decisões. E não só as grandes. As pequenas também. Aprender a tomar decisões sábias é uma coisa muito pessoal. E com as decisões pequenas você pode aprender a tomar decisões melhores quando as grandes aparecerem.

A primeira coisa que me ocorre é lembrar-me dos meus êrros e acertos ao tomar decisões. Por exemplo:

Tomar decisões sob pressão -Na maioria das vezes em que tomei decisões sob pressão, me lasquei. Se existir pressão de terceiros, adie a decisão. Não dê bola para “você vair perder tempo, vai perder o negócio…”. Espere. Pense. E só tome a decisão de cabeça fria e completamente ciente das consequencias e resultados.

Optar pela facilidade – Já fiz isso também. Ir para o lado mais fácil. Pode até dar certo eventualmente. Mas geralmente não. Está muito fácil? Pare e pense.

Influência externa – Na hora de tomar decisões, sempre tem alguém dando palpite. Alguns, desinteressados (o que não quer dizer que sejam bons). Outros, tentando realmente influenciar você, com vistas obter algum tipo de vantagem. Não se deixe influenciar. A bomba sempre vai estourar na sua mão.

Lei de murphy – Você deve conhecer. Não é uma lei, na verdade. É apenas uma frase que diz: “se algo pode sair errado, é certeza que sairá errado”. Um exagêro, talvez. Mas um ótimo alerta. Analise a situação. Quais são as possibilidades das coisas sairem erradas em sua tomada de decisão. Há boas chances de saia errado? Desista, tire o time de campo.

Seu histórico – Faça uma auto-análise. Você costuma acertar? Ou erra muito? Erra a toda hora, não dá uma dentro? Cuidado com você mesmo. Eu já vi muita gente tentar a mesma coisa por diversas vezes, da mesma maneira. E nunca dá certo. E o sujeito não tenta mudar nada. Fica batendo na mesma tecla a vida inteira, na esperança que um dia dê certo. Reconheça seus êrros e aprenda com eles. 

 Nem vou corrigir o post, para aproveitar o exemplo. Aqui mesmo há um exemplo de decisão precipitada. Lá em cima eu disse que não ia fazer uma lista. E acabei fazendo, não houve jeito.

Mas isto serve para mais um pensamento sobre tomar decisões.

Uma vez que você tenha tomado uma decisão, saiba conviver com ela. Não fique se lamentando, arrumando desculpas. Assuma. Você decidiu por aquilo. Enfrente as consequencias. Deu errado? Tente aprender algo com o êrro, sacuda a poeira e siga em frente. Ficar chorando não vai adiantar nada.

Saiba lidar com a dúvida ao tomar decisões

Quando era mais jovem, eu ficava achando que era indeciso demais. Tinha dúvidas demais. Me parecia que os outros todos não tinham dúvidas. Sabiam sempre o que era certo, o que deveriam fazer.

Agora, já com cinco décadas me pesando nas costas, posso dizer que estava errado. Todos têm dúvidas. Ninguém sabe todo o tempo o que fazer. Apenas existem aqueles que convivem mais tranquilamente com seus êrros.

Não deixe que a dúvida o paralise. É aquele negócio: “na dúvida… melhor não fazer nada.”. Tomar decisões envolve risco. Se está na cara que vai dar errado, pule fora. Mas pular fora a toda hora, só pra não errar, é covardia. Em algum momento você terá que decidir. A dúvida estará sempre por ali, rondando. Bote a cabeça no lugar, minimize os riscos o mais que puder e decida.

Obtenha informações para tomar decisões

Antes de tomar suas decisões, obtenha o máximo que puder de informações a respeito do assunto. Seja lá o que for. A compra de um carro, um investimento, alugar uma casa, uma viagem, troca de emprêgo. Analise sempre os prós e contras. Procure ver a si mesmo no “depois”. Depois de comprar o carro, depois de trocar de emprêgo. Você pode ter uma surpresa. Pode acabar vendo que a decisão nem era tão difícil assim.

Por outro lado, não tente embasar sua decisão numa certeza absoluta. Certas pessoas tentam ir tão a fundo nas informações e detalhes, que acabam por perder o “timing” do negócio. Por exemplo: querer um preço tão bom, tão baixo, procurar tanto, que aquele que já era o mais baixo, adivinhe… aumentou.

Outra: Você está diante de um carro semi-novo (uns 10.000 km), sendo vendido pelo primeiro dono. O preço está ótimo. Você já deu uma volta, examinou tudo e o carro está mesmo “cheirando a tinta”. O dono do carro é bem apessoado e não leva jeito de “malaco”. Já está de bom tamanho, pois não? Nem precisa de um segunda opinião. Mas se precisar, faça logo. Na hora. Ou vai perder o negócio. Você vira as costas, chega uma pessoa mais segura de si, compra o carro e… tiau.  

Outra coisa sobre informações é ligar o “desconfiômetro”. Alguma coisa não cheira bem. Algum dado não está batendo. Está parecendo fácil demais. Alguém está insistindo muito (olha a pressão…). Parece que você já ouviu aquela conversa.

Vou citar um exemplo. Se alguém vem me oferecer um carro e começa dizendo “só estou vendendo porque…”, já estou fora. É um tal de “porque vou viajar…”, ou “porque minha mulher não gosta da cor…”. Mentiras e mais mentiras. Chavões também: “carro de médico…”, “carro de senhora…”.

Dia destes conversava com alguém a respeito disso e a pessoa defendeu o “carro de médico”, dizendo que era porque rodava pouco. Isto só serve para quem não conhece um instrumento chamado odômetro. Quer saber se o carro rodou pouco? Verifique a quilometragem. E mande o médico ir curar alguém.

Resumindo: tome sua decisão baseado nas suas informações e conclusões e não naquilo que a outra parte interessada acha ou diz que é certo. Frases como “este é o melhor negócio da sua vida” são muito perigosas. Quer mais uma? “Pode confiar…”. Essa é de lascar… 

Quando você é péssimo na tomada de decisões

Se você frequentemente se vê em maus lençóis, metido em confusões, negócios errados, enfim, situações ruins, pare pra pensar. Você está tomando decisões erradas. E muitas vezes, para corrigir um êrro, acaba cometendo outro e mais outro…

Neste caso, você precisa mesmo parar. Simplesmente parar. Dar um tempo, pensar. Reeducar-se. Tentar enxergar as coisas com uma visão diferente.

Eu conheço pessoas que conseguem fazer tudo – absolutamente tudo – errado. Não dá nem pra acreditar. Todo mundo vê que é para a direita, elas vão para a esquerda. Se for pra cima, vão pra baixo. Se for hora de bater colocado, mandam um chutão.

O incrível não é errar. Errar todos erramos. Mas não a toda hora. De vez em quando você precisa dar uma dentro, caramba!

Se este for teu caso, não se desespere, você tem jeito. Lembre-se que em todas as decisões que tomou, você tinha outra opção. Quem errou foi você. Escolheu errado. Ou seja, a solução está em você mesmo. Tanto melhor, você não precisa de ninguém para corrigir. Só de você mesmo. A decisão correta está dentro da sua cabeça. É só buscá-la.

A partir daí, você pode até não acertar todas. Mas de vez em quando vai colocar aquela lá no ângulo, fazendo o melhor goleiro do mundo esticar-se todinho e… goooooooooooooooollllllll!!!!

Algo mais sobre tomar decisões

Leia algo sobre comportamento humano

About the Author Bruno

2 comments

Comments are closed