Quer criar seu próprio infoproduto?

Inscreva-se e receba um minieBook para saber mais hoje mesmo!

Como montar uma empresa

Shares

como montar uma empresaO sonho de muita gente é montar uma empresa. Pode ser o teu sonho, creio eu, afinal você encontrou este artigo…

Como montar a empresa é que são elas. Para não sair por aí fazendo besteira, é melhor primeiro saber como não montar uma empresa. Como já vi muita gente fazer tudo errado, vou listar aqui algumas coisas que você pode – e deve – evitar.

O que não fazer ao montar uma empresa

  • Abrir a empresa legalmente – Calma lá, não estou dizendo que você não deve fazer isto. Mas colocar seu nome num montão de papéis não é nem de longe a primeira coisa que você deve fazer. Deixe isto para depois.
  • Comprar mercadoria – Esta também não é a primeira coisa a fazer.
  • Investir a maior parte do dinheiro de uma vez – Não faça isso. Você compra um montão de mercadoria, ou faz uma reforma enorme para abrir sua empresa, ou compra um equipamento. Só para depois perceber que não dinheiro para as outras coisas. Ou pior, que aquilo em que foi gasto o dinheiro nem era tão necessário.
  • Sociedade – Só faça se for necessário. Se pode abrir a empresa sozinho, esqueça. Dizem que sociedade é igual casamento, mas não é verdade. É muito pior. Pelo menos no casamento você tem com quem dormir (e outras cositas más…).
  • Usar a garagem da casa – Ou os fundos. Se não for necessário, não faça isso. Trabalhar em casa não é pra todo mundo. Você acaba confundindo as coisas. Ah… e sua família também. Você está lá, trabalhando, e a família vem interromper a toda hora. Me leva ali, faz isso e faz aquilo. Fuja disso. Por outro lado, você mesmo pode sentir-se tentado a puxar uma palha depois do almoço, tomar uma gelada na hora errada…
  • Entrar num  ramo só porque gosta – Trabalhar com o que se gosta é muito legal. Porém, nem sempre é um bom filão no mercado para abrir uma empresa. Verifique primeiro.
  • Acreditar em tudo – Não acredite em tudo que lhe dizem. Tem um montão de gente por aí, sempre pronta a te dar conselhos, palpites e o escambau. Não acredite. Confirme, pesquise por si mesmo. Procure opiniões abalizadas.
  • Trabalhar com parentes – Já falei da sociedade. Pior do que uma sociedade por si só, é uma sociedade com algum parente. Acredite, é uma verdadeira josta, na maioria dos casos. Mesmo contratar parentes para trabalharem para você geralmente não funciona. Dificilmente vêem você como chefe, patrão. Aí, os problemas começam. E o final da história geralmente é dolorido.
  • Começar no zero – Abrir uma empresa sem nada de capital é uma utopia.
  • Catar grana no banco – Piorou. Começar com dinheiro emprestado, só se você tiver muita, mas muita certeza do que está fazendo. Mesmo assim, não pode ser um empréstimo comum, com aquelas taxas de juros absurdas. Precisa ser um programa destinado à pequena empresa, como da Caixa Econômica ou coisa que o valha. Nos quais os juros são baixos e os prazos longos. Nem é preciso dizer, mas vá lá. Não se meta com agiotas. Eles almoçam e jantam otários.

E aí? Já desistiu? Ah, sim… você nem estava pensando em fazer nenhuma destas coisas, certo? Então tudo bem. Ponto para você.

Se – por outro lado – eu acabei com as suas opções, pode acreditar que você ia quebrar a cara. Vamos então agora à parte positiva e objetiva da coisa:

Como montar uma empresa

  • Ramo de negócios – Defina exatamente o que a empresa vai fazer. Nada de “essa parte a gente vê depois”. Saiba com exatidão produtos e serviços que serão oferecidos pela empresa.
  • Mercado – Há mercado para os produtos e/ou serviços desejados? Faça uma pesquisa decente. Você precisa oferecer algo que o possível cliente queira, esteja procurando. Um produto novíssimo, inédito, que ninguém nunca viu e jamais se ouviu falar, pode até vender, mas vai consumir muito esforço e dinheiro para convencer o mercado.
  • Concorrência – Pesquisa muito importante. Há muitos concorrentes no mercado? Quem são eles? Se houver só gigantes no seu ramo, a probabilidade de êxito pode ser remota. Suponhamos que você meta na cachola que vai fabricar telefones celulares. É fácil adivinhar que, com pequeno capital, sem tecnologia e todo o restante (que não é pouco), você vai quebrar a cara. Este foi um exemplo exagerado, mas tenha isto em mente. Por outro lado, a existência de muitos concorrentes não quer dizer que você deva se amedrontar. Se há muita gente fazendo o que você quer fazer, é porque o mercado é bom. Se houver bem pouca concorrência, pode ser que o mercado não seja tão grande. Pesquise e pesquise.
  • Fornecedores – Abrir uma empresa para depois achar fornecedores é um grande êrro. Você precisa definir isto antes. E conseguir o quanto puder em termos de informações e condições de seus futuros fornecedores. Suponhamos que você vá vender material de papelaria. Descobrir depois da firma aberta que alguns fornecedores de materiais vitais para a empresa exigem capital mínimo, pedido mínimo de “x” valor, e ainda por cima pagamento à vista e adiantado na primeira compra… Entendeu? Saiba tudo sobre seus fornecedores para planejar as operações e abertura de sua empresa.
  • Tamanho – Qual será o tamanho inicial de sua empresa? Gaste seu dinheiro com consciência. Explicando: você gasta uma nota preta em instalações, luvas, aluguel, móveis e por aí afora. A empresa está “grande” fisicamente, mas não sobrou dinheiro para comprar mercadoria, fazer publicidade, nem nada. Você acaba de descobrir que não tem uma empresa e sim um local alugado que não serve pra nada. Portanto, defina exatamente, de acôrdo com o capital, o tamanho de sua empresa. Ah, sim… gastar todo o dinheiro em estoque também é uma bela pisada na bola. Tenha tudo que precisa em seu tamanho correto.
  • Planejamento – Planeje cuidadosamente cada passo, não subestime nada. Use a sua imaginação. Pense que a empresa já está funcionando. Algo como “montar uma empresa” na cabeça,. Imagine por exemplo, que já se passou o primeiro mês de empresa aberta. E você não vendeu quase nada. Há dinheiro para pagar as contas? Imagine que na terceira semana você vendeu três vezes mais do que esperava. É possível atender aos pedidos? Conseguir o material? Fazer as entregas ou despachos? Enfim, faça um exercício mental e planeje as coisas o mais detalhadamente possível. É duro descobrir na hora “H” que ficou faltando isso e aquilo. Que você não tem nem como embrulhar uma mercadoria, ou sequer um carrinho para carregar a mesma. Ou que é proibida a entrada de caminhões de entrega na rua em que você instalou a empresa (essa é braba…).
  • Preços – Você tem certeza que vai poder encarar a concorrência no tocante aos preços de mercadorias e/ou serviços? Sabe como formar preços de venda? Calcular custos? Pense nisso antes de entrar numa furada. Entre no site do Sebrae. Há muita informação por ali, inclusive apostilas sobre este assunto.
  • Impostos – Não subestime o governo. Mesmo que você não tenha sócios, vair ter este. Aliás, estes: os governos federal, estadual e municipal. Confira em que sistema sua empresa irá enquadrar-se e que tipos de impostos deverá pagar. Isto não pode ser deixado para depois, de jeito nenhum. E tem tudo a ver com o item anterior, a formação de preços.
  • Ponto de venda – Muitas empresas hoje não precisam de um ponto de venda. Seu ponto de venda, dependendo do tipo de negócio, pode ser a internet. Empresas de prestação de serviços, comércio e outras estão cada vez mais “existindo” na internet. Muitas lojas virtuais têm feito sucesso. Num caso de comércio, por exemplo, você só precisa do local de trabalho e estoque, sem necessidade de pagar aluguel caro e luvas. Enretanto, se precisar mesmo de um ponto físico em local de movimento, pesquise muito e tenha paciência, para não gastar os olhos da cara com aluguel e luvas. 
  • Perfeccionismo – É, você precisa pesquisar e planejar um bocado de coisas. Mas não permita que isto adie indefinidamente a abertura de sua empresa. Não queira tudo nos mínimos detalhes. Informe-se devidamente e vá tocando o barco em frente. Isto quer dizer: você precisa ter uma noção geral de todas as coisas envolvidas ao montar uma empresa, mas isto basta. Se você perder meses com cada mínimo detalhe, nunca vai abrir nada.
  • Contador – Ao procurar um contador, não seja pão-duro. Procure ter boas referências. Contrate um contador que saiba o que está fazendo. Faça perguntas a ele, sobre impostos, ramo de atividade, abertura da empresa, enquadramento em sistemas de microempresa. Pergunte a ele como você deve proceder quanto à emissão de notas fiscais, notas de entrada, despesas, tudo. Lembre-se que o contador não é parte da sua empresa. ele só registra o que você faz. Você faz errado, ele registra. O fiscal vem e você está lascado. Nem sempre o contador mais caro é o melhor. Nem o mais barato o pior. Mas saiba onde está se metendo. Muitos empresários acabam mal, porque só usam o contador para obter os documentos de abertura da empresa. Depois, negligenciam toda a parte fiscal. Quando a bomba estoura, colocam a culpa em quem? No contador. Ora, se você diz ao contador que não vendeu nada e não comprou nada, o que quer que ele faça? Dica: não minta para o contador. Ele não é o fiscal. Aliás, mentir para fiscal também não adianta nada.

Mais alguma coisa? Aqui não, mas no artigo novo pequeno empresário tem. Confira.

Enfim, é claro que não cheguei nem perto de tudo o que se deve pensar. Saber como montar uma empresa exige muita dedicação, pesquisa e trabalho. E é muito melhor saber das coisas antes de abrir a empresa do que ficar tateando no escuro e acabar ficando mais perdido que cachorro que caiu de mudança. 

Saiba mais sobre montar uma empresa

autor da foto

About the Author Bruno

Popular posts