Quer criar seu próprio infoproduto?

Inscreva-se e receba um minieBook para saber mais hoje mesmo!

Como conseguir um emprêgo

Como conseguir um emprêgoEsta é legal. Como se alguém tivesse uma fórmula mágica para se conseguir emprêgo. É claro que tal fórmula não existe.

Porém, há algumas providências que você pode tomar, para melhorar suas chances de conseguir um emprêgo pelo menos razoável. A pior coisa a fazer é ficar atirando para tudo quanto é lado. Compare a procura de trabalho com a caça. Se você entrar na mata e ficar atirando para todos os lados, vai somente desperdiçar munição.

Dicas para conseguir um emprêgo

  • Não fique de fora – Enquanto está procurando seu novo (ou primeiro) trabalho, procure não ficar parado, em casa. Arrume qualquer coisa, por qualquer salário. Por um lado, você já estará defendendo uma graninha. Por outro – e mais importante – estará dentro do mercado de trabalho, onde circulam as informações. Estará interagindo com pessoas. E pessoas falam, conversam, fofocam, informam. Daí pode surgir alguma dica de emprêgo ou algo que você não sabia que pode te ajudar.
  • Curriculo – Faça seu curriculo com cuidado. Se não sabe como, procure ajuda especializada. Mas não sobrecarregue o curriculo. Sobretudo com mentiras. Pense que do outro lado há uma pessoa inteligente analisando o que você informou. Exagêros são facilmente detectáveis. O que acontece aí, é que você perde a chance de sequer ser chamado para a entrevista. Jamais coloque “disponível para viagem” – por exemplo – se isto não for verdade. Demonstre vontade de progredir.
  • Carta – Ao enviar seu curriculo, anexe uma folha explicando porque gostaria de trabalhar naquela empresa. Mas não uma carta padrão para todas as empresas. Uma carta específica para cada empresa, demonstrando que você pesquisou a empresa, sabe o que a empresa faz e como poderia contribuir caso fosse escolhido para a vaga. Este é um fator que pode diferenciar você dos outros candidatos.
  • Salário – Não exija ganhar muito no começo. Mas sempre deixe claro que, após mostrar o que pode fazer, gostaria de ter a possibilidade de pedir aumento. Ou seja, não pergunte quanto podem te pagar agora. Pergunte quanto podem te pagar depois.
  • Foco – Mantenha-se focado, ou seja, não envie seu curriculo nem compareça para vagas que nada têm a ver com o que você faz. É a história da “caça”. Mire no alvo certo. E puxe o gatilho na hora certa. Se você trabalhou algum tempo com seguros, por exemplo, é muito mais fácil conseguir trabalho nesta área do que numa empresa de auto-peças, por exemplo. Eventualmente, o que você sabe fazer, pode servir para outros tipos de empresas. Tudo bem aí, mas procure manter o foco o mais que puder.
  • Prepare-se – Veja só: você tem uma entrevista na segunda-feira, por exemplo. Domingo pela manhã, vai jogar futebol. Na hora do almoço, reunião com os amigos para aquele churrasco básico, regado a caipirinha e cerveja. À noite, um cineminha legal com a esposa. Uma beleza. No dia seguinte, quem comparece à entrevista? O seu clone? Não. O seu caco. Você está só a capa da gaita, cansado, com sono, confuso. Cinco minutos de entrevista, e o restante do dia para lamentar. Descanse e relaxe no dia anterior à entrevista. Dê uma repassada naquilo que pode ocorrer na entrevista (veja o item seguinte).
  • Entrevista de emprêgo – Eu já compareci a entrevistas completamente despreparado. Não sabia nada sobre a empresa e nem me preocupei com perguntas que possivelmente seriam feitas. Arrammm… foram feitas. E eu me enrolei todo, fiquei nervoso e perdi a oportunidade. Não faça isso. Prepare-se para a entrevista. Olhe seu curriculo. O que um entrevistador poderia te perguntar, a respeito das qualidades que você afirma possuir? Quais seriam as respostas? O que a empresa faz? Quais seriam as suas tarefas no setor em que pleiteia a vaga? O que você tem a oferecer para a empresa? Lembre-se: você está tentando “vender” a sua força de trabalho para alguém. Se nem você sabe o que está vendendo…
  • Estude – Há milhões de coisas que eu não sei. E você também não. Procure algo que possa melhorar suas chances, e estude. Hoje em dia há de tudo na internet. Cursos bastante baratos, acessíveis. Leia, compre uma apostila, um curso. Aprimore-se. Para que possa ser um trabalhador desejado pelas empresas. Se você deixar o entrevistador achando que “acertou na mosca”, tcharam! O emprêgo está quase garantido. Digo quase, porque pode haver alguém mais na parada. Um diretor, por exemplo. O entrevistador apaixonou-se por você, mas o diretor não. Já aconteceu comigo. É de chorar, eu garanto. Mas Deus sabe o que faz.
  • Confie em Deus – Já que mencionei Deus no item anterior, vamos falar um pouco d’Ele. Você pode não acreditar, mas neste mesmo instante Deus está olhando por você. E esperando uma palavra sua. Converse com Ele. Peça a Deus que lhe dê força, orientação em sua empreitada para conseguir um emprêgo. Não pense que você não pode pedir. Você pode sim. E também não pense que, como Deus te conhece (e conhece mesmo, acredite) você nem precisa pedir. Nada disso, fale com Ele, diga a Deus como está se sentindo, como precisa tanto deste trabalho. Fale com Deus. E Ele responderá, você vai ver.
  • Converse com pessoas – Seus amigos, parentes, conhecidos, vizinhos. Todos tem conhecimento de coisas que você não tem. Não seja um chato, entretanto. Ficar mandando email pedindo emprêgo pra todo mundo é dose. Converse, realmente. Mantenha contato, informe seus amigos sobre sua família, coisas assim. Compartilhe interesses. E no meio disso tudo, compartilhe também informações sobre trabalho.
  • Sites sociais – Muita gente hoje utiliza sites sociais, como Facebook e Twitter, por exemplo. Ao invés de usar o site para assuntos irrelevantes, fale de você, de trabalho, sobre o que você faz, o que já fez, onde já trabalhou. Se você não sabe, tudo o que você escreve na internet é indexado pelos sites de busca. Pode acontecer de alguém estar procurando um funcionário e localizar aquilo que você escreveu. E também os frequentadores do site terão acesso àquelas informações. Mas nada de ficar choramingando “preciso desesperadamente de um trabalho…”. Isso pega mal. Mantenha sua dignidade.
  • Aprenda a lidar com a rejeição – Você já viu alguém que ouve um não e sai tranquilo assoviando? Eu já. Mas estas pessoas são raras. A maioria de nós – é, estou me incluindo – não tem preparo para lidar com a rejeição. Um nãozinho de nada e já ficamos mais pra baixo que fiofó de cobra, não é verdade? Aprenda a lidar com isso.  Cada “não” que você ouve, é um a menos a caminho do “sim”. Legal essa, né? Mas não é filosofia barata, é como temos que encarar a rejeição. Nem todo mundo vai com a sua cara. Com o seu jeito, seu palavreado, sua roupa, seu nariz. Mas tem alguém lá fora com o “sim” preparado. Por isso, não deixe que os “nãos” te coloquem pra baixo. E para diminuir a chance de rejeição, leia bem o item “foco”.
  • Apresentação – Como já foi dito anteriormente, você é um “vendedor de si mesmo”. O vendedor está dentro de você. E o “produto” também. Mas os dois seguem na mesma embalagem. Como conseguir um emprêgo tentando vender algo de má aparência. Cuide bem da apresentação. Não é nem necessário mencionar, mas vamos lá: barba feita, cabelos aparados, banho tomado. Roupas limpas e – preste atenção – condizentes com a ocasião. Comparecer a um entrevista a um cargo de arquivista ou digitador, por exemplo, de terno e gravata, é um bocado exagerado. Basta uma camisa apresentável, calça idem (nada daqueles jeans rasgados ou pior, sujos), um calçado decente (aquele Nike de três anos e meio que de branco virou prêto, não) e assim por diante. A mesma coisa vale para as mulheres. Um traje social todo emperequetado para uma vaga de recepcionista, não tem nada a ver. Já se o caso for um cargo mais “bacaninha”, como gerente, secretária executiva e outros badulaques, vale o traje social completo. Enfim, vista-se de acôrdo. Sem enfeitar muito o pavão, mas também sem parecer que acabou de sair de uma briga de foice.
  • Venda, não implore – Pouca gente gosta de um chorão. Na hora da entrevista, retire de dentro de você o vendedor. Converse com dignidade, mais escutando e respondendo do que tagarelando. Nada de “eu preciso demais desse emprêgo…” ou “se o senhor puder me ajudar…”. Isso é implorar e não vender. E – acredite – o sujeito do outro lado já ouviu isso milhares de vezes. E a cada vez que ouve novamente, sua gastrite piora. E ele põe a culpa em você. E não te dá o trabalho, só pra não mais ouvir você choramingar. Sim, porque aquele que choraminga um emprêgo, choraminga aumento, férias, descanso, vale-pobreza, vale disso e daquilo, menos trabalho e por aí afora. Não seja um destes.
  • Procure ajuda profissional – Há empresas na internet especializadas em emprêgos. A Catho, por exemplo. Com certeza há outras. Informe-se a respeito destas empresas e faça alguns testes. Algumas oferecem até mesmo serviços de elaboração de currilos.

Como você vê, não há mesmo uma só resposta para a pergunta “como conseguir um emprêgo”. Entretanto, todas as coisas acima e mais algumas que já devem haver despertado em sua mente, podem ajudar, e muito.

Resumindo: faça tudo que estiver ao seu alcance para alcançar o objetivo. Venda um bom produto. Você não vai conseguir um emprêgo oferecendo um “produto” sem qualidade.

autor da foto

About the Author Bruno